A primeira instituição financeira cooperativa do Brasil

Sicredi
07 / 11 / 2013

Mapas colaborativos combatem a violência urbana

Alertar a população e chamar a atenção das autoridades são os objetivos de plataformas como B.O. Coletivo e Onde Fui Roubado.

A troca de informação entre os cidadãos é uma poderosa arma de combate ao crime. É por isso que diversos mapas colaborativos sobre assaltos vêm se proliferando em sites e aplicativos de celular. Nesses ambientes de cooperação online, as vítimas compartilham informações sobre a hora e o local em que foram roubadas. A união dos dados de vários colaboradores exibe um retrato da insegurança das cidades, chamando atenção das autoridades e alertando a população.

Com 30 mil acessos diários, Onde Fui Roubado é a plataforma mais popular de mapeamento de crimes do Brasil. Criada por dois jovens estudantes, possui registro em 260 cidades. Além do mapa, exibe estatísticas em tempo real, como ranking de objetos roubados e os tipos de assalto mais frequentes em cada município. Tudo isso a partir dos dados enviados pelos próprios usuários.

B.O. Coletivo é um mapa de roubos que funciona em um aplicativo gratuito de smartphone. Presente em 11 estados brasileiros, recebeu o registro de 200 delitos no primeiro mês de existência. No site, as vítimas de assalto podem fazer o download de um cartaz para ser colado no local da ocorrência, com a frase “Aqui fui assaltado. Você também? Escreva seu nome abaixo”.

Para quem sofrer um assalto e quiser colaborar com essas plataformas, é importante lembrar que os mapas colaborativos não anulam a necessidade de fazer um registro formal de ocorrência em uma delegacia. “Não queremos substituir a polícia, mas também não queremos que nossa insatisfação fique guardada”, diz Ricardo Maluf Gardolinski, o criador do B.O. Coletivo, ao site Infosur Hoy. Só com o boletim de ocorrência é que o poder público pode agir para melhorar a segurança urbana.

Apesar de oferecerem um excelente serviço gratuito à população, é preciso estar atento a um efeito colateral do mapeamento da violência. Aumentar o medo dos moradores pode fazer com que menos pessoas circulem pelas ruas, tornando-as ainda mais inseguras. De acordo com Jane Jacobs, grande influenciadora de arquitetos e urbanistas, uma das condições para a diminuição da violência na rua são pessoas transitando ininterruptamente. Por isso, é importante usarmos os mapas de assaltos com o objetivo de redobrar a atenção e não como um motivo para abandonarmos o convívio com os espaços públicos da cidade.

Com informações de TechTudo e Zero Hora
Imagem: B.O. Coletivo

Tags:
CROWDSOURCING
SOLIDARIEDADE E COLABORAÇÃO
MAPAS COLABORATIVOS
comments powered by Disqus