A primeira instituição financeira cooperativa do Brasil

Sicredi
09 / 04 / 2020

Empreendedor: 7 dicas para ajudar você a continuar operando em tempos de incerteza.

Por: Sicredi

 O novo coronavírus (covid-19) mudou totalmente a vida das pessoas e, principalmente, a dos negócios. Do dia para a noite, milhares de empreendedores se viram com uma dúvida: “como fazer para que o estabelecimento continue funcionando em meio a um isolamento social de nível nacional?”.

Para ajudá-lo a passar por este momento delicado, separamos sete dicas práticas para que você consiga equilibrar as contas e se mantenha ativo durante esta situação. Pegue papel e caneta, passe álcool em gel nas mãos e vamos lá:

 

1 – Mantenha seu espírito empreendedor

Empreender é lidar com os desafios e as mudanças do mercado. Neste contexto, é fundamental manter seu espírito empreendedor ainda mais vivo. Você teve que fechar seu estabelecimento físico? Então, veja formas alternativas para a venda via internet, telefone ou pague e retire.

Os restaurantes, por exemplo, se reinventaram ainda mais, recentemente, devido aos aplicativos de entrega, que possibilitam que seus clientes recebam alimentos sem contato físico com o entregador.

Toda venda conta. Por isso, avalie formas diferentes de oferecer seu produto ou serviço de forma remota (online ou por telefone). Estude seu negócio, seus produtos e busque formas diferentes de lidar com a situação de isolamento social. Você pode se surpreender com os resultados.

 

2 – Procure alternativas de distribuição

Neste momento de isolamento, identifique maneiras de vender seus produtos e serviços de forma alternativa, por aplicativos de entrega, mídias sociais ou até mesmo pelo bom e velho telefone.

Várias plataformas de vendas online possibilitam que você anuncie gratuitamente seus produtos e serviços, pagando apenas uma pequena comissão quando o negócio for realmente fechado. Grandes lojas online também oferecem serviços de marketplace, nos quais você pode anunciar produtos que saem direto do seu estoque para os clientes que fazem compras online em um só site. Algumas de nossas cooperativas já disponibilizam aos seus associados o Sicredi Conecta, aplicativo que permite a compra e venda de produtos e serviços entre os nossos associados, apoiando o desenvolvimento local. Para saber sobre a disponibilidade na sua região, consulte a sua cooperativa ou saiba mais clicando aqui.

Se não há como vender seu produto ou serviço neste momento, existe alguma outra maneira de ter renda? Agora é hora de pensar em diferentes alternativas e aproveitar a internet e as redes sociais para fechar novos negócios.

 

3 – Pagamentos e negociações

Uma coisa é certa: independentemente de crises e pandemias, os boletos continuam chegando. Por isso, considere o pagamento de contas priorizando as que são essenciais – como água e luz. Em seguida, as que tenham juros maiores, para que, mais pra frente, elas não virem uma bola de neve.

Feito isso, negocie o prazo de pagamento com seus fornecedores. Se tiver dificuldade em pagar algum crédito que tenha conosco, entre em contato com seu gerente para que possamos avaliar a situação. Estamos aqui para cooperar com você e com seu negócio.

 

4 – Reorganização de despesas

Após conversar com seus fornecedores e renegociar possíveis dívidas, é hora de reorganizar as despesas. Avalie, com calma, as suas finanças, estipule as despesas prioritárias e veja se você conta com alguma reserva, sempre de olho em alternativas de receita. Se seu fluxo de caixa continuar mesmo menor, siga a dica 3.

A gente sabe que é chato, mas agora é a hora de ajustar seu pró-labore. Pense que você ganhará menos hoje para garantir o seu futuro amanhã.

De forma prática, divida os gastos da empresa em:

·       indispensáveis – aquelas contas que devem ser mantidas;

·       dispensáveis – aquelas contas que podem ser cortadas e não fazem falta;

·       ajustáveis – gastos que podem ser diminuídos sem impacto em sua qualidade de vida, como a TV a cabo de seu estabelecimento.

 

5 – Separe a sua pessoa física da jurídica

Sua empresa é uma coisa e você, outra. Sabemos que, no dia a dia, essa separação não fica tão clara e os orçamentos podem se fundir, principalmente quando se é MEI.

Porém, neste momento de crise, seja persistente com a separação das contas de pessoa física e jurídica. Lembre-se: a crise passará e a PJ precisa seguir forte e disciplinada.

Aproveite para reorganizar suas contas. Fique atento, pois alguns boletos estão sendo postergados, como água e luz. Agora, você pode ganhar fôlego, mas precisará pagá-los mais à frente. Não esqueça de conferir as possíveis taxas ou juros.

Em contrapartida, fique de olho no seu crédito pessoal PF e evite, a todo custo, fazer empréstimos com seu CPF para aplicar no seu CNPJ. Novamente: sua empresa é uma coisa e você, outra. É possível saber se você tem alguma pendência com órgãos, como SPC ou Serasa, de forma gratuita nos sites oficiais dos órgãos. É só clicar nos nomes aqui neste parágrafo para acessar as ferramentas.

 

6 – Aproveite seus benefícios de MEI

Neste período de isolamento, os prazos para pagamento dos tributos para MEI foram estendidos. Agora, os pagamentos referentes aos meses de março, abril e maio foram postergados para outubro, novembro e dezembro de 2020, respectivamente.

Além disso, não se esqueça do auxílio emergencial do governo para MEI e pessoas físicas no valor de R$ 600. Segundo dados do Sebrae, 36% dos microempreendedores individuais poderão receber o benefício. Confira as regras:

– Ser maior de 18 anos;

– Não ter emprego com carteira assinada;

– Não receber benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou outro programa de transferência de renda, além do Bolsa Família;

– Ter renda familiar mensal por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal de até três salários (R$ 3.135,00);

– Não ter recebido rendimentos tributáveis, em 2018, acima de R$ 28.559,70;

– Exercer a atividade profissional como MEI; ser contribuinte individual ou facultativo no regime previdenciário; ser trabalhador informal inscrito no Cadastro Único (CadÚnico);

– Mulheres que chefiam a família, as mães solteiras (monoparental), receberão até R$ 1,2 mil. Pais solteiros e mães adolescentes foram incluídos no texto do Senado e ainda precisam de aprovação da Câmara;

– Às famílias que estejam no Bolsa Família, só será permitido que duas pessoas acumulem os benefícios: um receberá o pagamento emergencial e o outro o recebimento do programa do governo. Além disso, apenas duas pessoas por família poderão receber o auxílio emergencial.

Fonte: Governo Federal (https://www.gov.br/pt-br/servicos/solicitar-auxilio-emergencial-de-r-600-covid-19)

E não esqueça de fazer sua declaração anual! Saiba mais no site do Sebrae clicando aqui.

7 – Fique de olho no futuro

Toda crise passa. Por isso, aproveite este tempo de dificuldade e isolamento para pensar em oportunidades de negócios. Você pode aprender algo novo, diferente ou aprimorar o que já faz. Procure por ferramentas e dinâmicas gratuitas para otimizar seu negócio. O site do Google, por exemplo têm várias dicas para você.

Use o seu tempo extra para fazer sua declaração de Imposto de Renda (PF e PJ), por exemplo.
Lembre-se que ela é um comprovante de rendimento e poderá ajudar na busca por crédito no futuro.

O prazo para envio do Imposto de Renda para Pessoa Física foi adiado, sendo 30 de junho de 2020 sua nova data final. Saiba mais no site da Receita Federal clicando aqui.

__

 

Estas foram algumas dicas que preparamos para te ajudar a definir um norte neste momento de tanta incerteza. Nós estamos prontos para cooperar no que você precisar.

Mesmo a distância, nossa mão segue estendida. Se precisar negociar ou tiver alguma dúvida, entre em contato com a sua agência ou com o seu gerente pelos nossos canais de atendimento. Estamos analisando, caso a caso, para encontrar a melhor opção para o seu negócio.

Tags:
INSPIRAÇÃO
COOPERATIVISMO
comments powered by Disqus